Número de cirurgias bariátricas aumenta em mais de 210% pelo SUS

Um estudo realizado pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (SBCBM), com dados do Sistema de Informações Hospitalares e Datasus, mostrou que houve um aumento de 215% na realização de cirurgias bariátricas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) entre 2008 e 2017. Foram 3.195 procedimentos em 2008, contra 10.064 em 2017.

Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo são os estados que mais realizam a cirurgia bariátrica pelo SUS,  respondem por 82% dos procedimentos na rede pública. Já o Ministério da Saúde, diz que o crescimento foi ainda maior: de 223%. “O crescimento significa que a rede está sendo ampliada e dando mais acesso aos cidadãos que precisam dessa cirurgia”, disse a pasta, em nota. Segundo a SBCBM, o Brasil é o segundo país que mais realiza cirurgias bariátricas no mundo. O primeiro é os Estados Unidos.

O crescimento anual de procedimentos no SUS é de 13,5%, enquanto no setor privado, a média de foi de 6% a 7% nos últimos anos. De acordo com Caetano Marchesini, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica, um dos motivos para o aumento de cirurgias bariátricas pela rede pública foi a crise, as pessoas não estão podendo pagar os planos de saúde. Em média, cada procedimento custa R$ 6 mil ao SUS e R$ 13 mil no setor privado.

No entanto, o sistema público ainda realiza menos cirurgias que a saúde suplementar. Segundo a ANS, o setor realizou 48.299 procedimentos em 2017. No total, o Brasil fez 105.642 cirurgias no ano passado, um aumento de 47% em relação a 2012 (72 mil), diz a SBCBM.

“É necessário aumentar o número de procedimentos, que em média hoje atende a 2% dos elegíveis. Outro ponto é melhorar a assistência como um todo. Hoje, 50% das crianças brasileiras estão com sobrepeso. A obesidade vai crescer no futuro” disse Caetano Marchesini.

About Author

DEIXE SEU COMENTÁRIO