Crânio é encontrado em meio aos escombros do Museu Nacional

Crânio é encontrado em meio aos escombros do Museu Nacional

Foto: Wikimedia Commons

Os bombeiros encontraram um crânio em meio aos escombros do Museu Nacional na manhã desta terça-feira (4). Ele pode ser de Luzia, o fóssil humano mais antigo da América.

O crânio de Luzia, trata-se de um fóssil encontrado na região de Lagoa Santa, em Minas Gerais, em 1974. Quatorze anos depois, o pesquisador Walter Neves observou que a ossada era diferente da dos índios brasileiros atuais, o que pode indicar que, além da primeira, uma segunda onda migratória, com traços mais asiáticos, poderia ter ocorrido há mais de 12 mil anos – estima-se que Luzia tenha entre 12,5 mil e 13 mil anos.

O bombeiro Rafael Luz tentou resgatar a ossada durante o incêndio, mas se feriu. De acordo com o G1, ele ficou desesperado ao abrir um armário e só encontrar um ferro incandescente. A alta temperatura do material fez com que a luva que protegia suas mãos derretesse, queimando seus dedos. “Doeu, muito. Saí da sala e chorei. De dor? Não. De frustração”, disse ele.

 

About Author

DEIXE SEU COMENTÁRIO