Ex-secretário nacional de Justiça é preso pela Lava Jato do RJ

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +
Spread the love

O  ex-secretário nacional de Justiça, foi preso nesta quinta-feira (5), em casa, no Leblon, em uma etapa da Lava Jato no Rio. Outras sete pessoas também foram presas.

O ex-secretário também já foi secretário de Administração Penitenciária do Rio. Segundo informações da TV Globo, que contra ele, há suspeitas de pagamento de propina, de lavagem de dinheiro e de ter ajudado na fuga do empresário Arthur Cesar de Menezes Soares Filho.

Ex-secretário nacional de Justiça é preso pela Lava Jato do RJ

Foto: Carlos Brito / G1

O “Rei Arthur”, como é chamado, é dono dos maiores contratos com o governo do RJ na gestão de Sérgio Cabral e acusado de de envolvimento na compra de votos para a eleição do rio como sede da Olimpíada de 2016. O Ministério Público Federal afirmou que a relação foi revelada pelo sócio de Arthur Soares.

De acordo com a Polícia Federal, o esquema também beneficiaria integrantes do Tribunal de Contas do Rio (TCE-RJ).

A força-tarefa tenta cumprir 9 mandados de prisão e 34 mandados de busca e apreensão, assinados pelo juiz Marcelo Bretas.

R$ 218 mil em dinheiro apreendidos:

Uma das equipes apreendeu R$ 100 mil em um posto de gasolina em Duque de Caxias, que tem como sócios dois alvos presos na operação.

Também foram apreendidos R$ 118 mil em uma sala utilizada pelo ex-secretário nacional de Justiça em um dos escritórios de advocacia alvo da operação.

Um delegado da Polícia Civil do Rio foi um dos alvos de mandados de busca e apreensão.

R$ 118 mil em dinheiro apreendidos em escritório de advocacia usado por Astério — Foto: Divulgação/Polícia Federal

Foto: Divulgação/Polícia Federal

R$ 100 mil apreendidos em posto — Foto: Divulgação/Polícia Federal

Foto: Divulgação/Polícia Federal

PF encontrou R$ 100 mil em um posto de gasolina que tem dois sócios alvos da operação — Foto: Divulgação/Polícia Federal

Foto: Divulgação/Polícia Federal

Há a suspeita de que o posto recebeu transferências de quase R$ 3 milhões de empresa também investigada, entre 2005 e 2012.

Share.

About Author

DEIXE SEU COMENTÁRIO