Caçadores matam duas das últimas três girafas brancas do mundo

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +
Spread the love

Duas girafas brancas extremamente raras foram mortas por caçadores no nordeste do Quênia, de acordo com informações dos ambientalistas.

Os guardas florestais encontraram as carcaças da fêmea e do filhote em um vilarejo no condado de Garissa, no nordeste do Quênia.

Uma terceira girafa branca ainda está viva. Ambientalistas acreditam que ela seja o único exemplar no mundo.

Caçadores matam duas das últimas três girafas brancas do mundo

Foto: HIROLA CONSERVANCY via BBC

Sua aparência branca é devido a uma condição rara chamada leucismo, que faz com que as células da pele não tenham pigmentação.

A notícia da existência das girafas brancas se espalhou pelo mundo depois que foram fotografadas em 2017.

O chefe da Preservação Comunitária do Quênia, Ishaqbini Hirola, Mohammed Ahmednoor, disse que as duas girafas mortas foram vistas pela última vez há mais de três meses.

“Este é um dia muito triste para a comunidade de Ijara e do Quênia como um todo. Somos a única comunidade do mundo que é guardiã da girafa branca”, disse Ahmednoor em um comunicado.

“Seu assassinato é um golpe para os importantes passos dados pela comunidade para preservar espécies raras e únicas e um alerta para o apoio contínuo aos esforços de preservação”, acrescentou.

Os caçadores ainda não foram identificados, e seu motivo ainda não está claro.

O que é leucismo?

  • Leucismo inibe a pigmentação em algumas células da pele
  • É diferente do albinismo, onde nenhuma melanina é produzida
  • Animais com leucismo podem ter pigmentos mais escuros nos tecidos moles
  • Girafas com leucismo retêm seus olhos escuros, enquanto animais com albinismo têm olhos rosados
  • Aves, leões, peixes, pavões, pinguins, águias, hipopótamos, alces e cobras exibiram traços de leucismo
Share.

About Author

DEIXE SEU COMENTÁRIO