Nove pessoas são presas em operação contra tráfico internacional de armas em nove estados

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +
Spread the love

A Polícia Federal (PF) prendeu nove pessoas uma operação, nesta quinta-feira (5), contra o tráfico internacional de armas de fogo. A operação aconteceu em nove estados.

De acordo com a PF, as armas entravam no país, vindas do Paraguai, escondidas em encomendas transportadas pelos Correios. A estimativa é que o esquema movimentou mais de 300 armas desde 2016.

Os suspeitos foram presos em Foz do Iguaçu (Paraná), Lauro de Freitas, Camaçari e Salvador (Bahia), São Miguel do Oeste (Santa Catarina), Natal e Parnamirim (Rio Grande do Norte). Um mandado de prisão expedido para Ribeirão Preto (São Paulo) não foi cumprido e o suspeito é considerado foragido.

Ainda de acordo com informações da PF, também foram cumpridos 62 mandados de busca e apreensão. Além dos estados onde aconteceram as prisões, houve buscas no Sergipe, Minas Gerais e Mato Grosso do Sul.

Nove pessoas são presas em operação contra tráfico internacional de armas em nove estados

Foto: Divulgação/PF

Crimes:

Os suspeitos são investigados pelos crimes de tráfico internacional de armas de fogo, lavagem de dinheiro, associação criminosa e falsidade ideológica.

Segundo a PF, a investigação começou no primeiro semestre de 2018, quando a polícia identificou que armas estavam sendo transportadas pelos Correios, escondidas dentro de equipamentos de treino para artes marciais, como aparadores de chute, luvas e caneleiras.

“Vimos este padrão e identificamos que certamente se tratavam de um mesmo grupo”, disse o delegado.

Segundo  a investigação, as armas entravam no país por Foz do Iguaçu, Paraná, e depois eram distribuídas para os outros estados, principalmente Bahia e Rio Grande do Norte.

De acordo com informações do delegado Rodrigo Moraes, armas, munições e acessórios também eram transportados dentro de tanques de combustíveis de carros que saiam do Paraná em direção aos outros estados.

A polícia informou que parte do pagamento das armas era feito por empresas de fachada da Bahia e Rio Grande do Norte.

Os Correios informaram que “o êxito da ação desencadeada foi resultado do trabalho conjunto realizado entre os Correios e a PF, por meio do fornecimento de informações. Dessa forma, a empresa reafirma o compromisso com a ética, a segurança e a transparência de suas operações”.

Share.

About Author

DEIXE SEU COMENTÁRIO