Mulher de 63 anos resgatada de cárcere privado passa por exames médicos

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +
Spread the love

 

A mulher de 63 anos resgatada na casa onde foi vítima de cárcere privado em Vinhedo, São Paulo, vai passar por vários exames médicos nesta quarta-feira (26).

Mulher de 63 anos resgatada de cárcere privado passa por exames médicos

Foto: Arquivo pessoal

Desde o seu pedido de socorro à Polícia Civil, que apurava suspeita de estelionato envolvendo o nome dela, Iva da Silva de Souza foi acolhida no abrigo da Prefeitura da cidade.

Além disso, a mulher cuidava de outra idosa, de 88 anos, há ao menos 20 anos na condição de restrição de liberdade. A filha da mulher mais velha e o marido estão presos por estelionato, sequestro, tortura e cárcere privado.

De acordo com o secretário de Assistência Social,Eduardo Galasso, o médico vai verificar se Iva será encaminhada para psicólogo ou psiquiatra após os exames, que serão realizados dentro do abrigo.

“Procuramos familiares, estamos entrando em contato. Também estamos conversando com a dona Iva para que ela queira ver os familiares, esse é o nosso trabalho, restabelecer esse vínculo. E a gente vem fazendo um trabalho tanto psicológico, como também médico, de conversa […] A gente não pode esquecer que existe também um inquérito policial, que está fazendo as averiguações.”

A outra mulher, de 88 anos, foi internada na Santa Casa da cidade e teve alta médica nesta quarta-feira (26).

Investigação:

Iva trabalhava para a mesma família há décadas e recebia salário, mas a situação mudou com a morte do patriarca e a condição do cárcere privado se instalou, de acordo com as investigações. Familiares do Paraná chegaram a registrar boletim de ocorrência de desaparecimento em 1996.

Ecio Pilli Junior e Marina Okido, filha da idosa mais velha, foram presos preventivamente suspeitos de passar cheques sem fundo no nome da vítima e de mantê-la em condições análogas à escravidão.

De acordo com a Polícia Civil, além de manter Iva há pelo menos 20 anos reclusa, cuidando de outra idosa, o casal usava uma conta aberta no nome dela para aplicar golpes em comércios no bairro Vila João XXIII, em Vinhedo.

O casal e as idosas viviam em casas separadas, mas os suspeitos iam até a residência das mulheres todos os dias.

Reencontro:

A Polícia Civil localizou familiares no Paraná e em Araraquara, São Paulo, onde mora uma das irmãs de Iva. Na cidade de Jesuítas, Paraná, a mãe de Iva soube nesta terça-feira que a filha está viva.

“Eu estou muito emocionada. Estou feliz só de saber notícias dela”, disse a mãe.

Share.

About Author

DEIXE SEU COMENTÁRIO