Estudante brasileira desenvolve projeto de absorvente sustentável para moradoras de rua

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +
Spread the love

Com o projeto de um absorvente interno sustentável para mulheres em situação de rua, a universitária curitibana Rafaella de Bona Gonçalves conquistou uma das mais importantes premiações internacionais de design. A ideia é produzir o absorvente a partir de fibra de banana.

“É o melhor prêmio de design que existe. Uma das coisas que mais me motivou foi dar visibilidade ao tema do projeto. Só as pessoas pararem para pensar sobre o assunto já é muito bom. É gratificante”, afirmou.

Estudante brasileira desenvolve projeto de absorvente sustentável para moradoras de rua

Foto: Rodrigo Brenner/Arquivo pessoal

O projeto de Rafaella foi o único brasileiro que recebeu o prêmio alemão “iF Design Talent Award”, na edição deste ano.

A universitária tem 22 anos e é aluna do 3º ano de design de produto da Universidade Federal do Paraná (UFPR).  O “Maria – absorvente íntimo” foi o trabalho de conclusão do curso, apresentado em julho. O objetivo era pensar em projetos para acabar com a pobreza.

“Queria trabalhar localmente. Comecei a procurar esse problema em Curitiba. Cheguei aos moradores de rua e, então, cheguei às mulheres em situação de rua. Tem problemas que só cabem a elas”, contou Rafaella.

‘Maria – absorvente íntimo’

O projeto, desenvolvido em quatro meses pela estudante, é um absorvente interno que se adapta às condições das moradoras de rua. Rafaella o define como “prático, higiênico e universal”.

Ele será produzido com fibra de banana, que é um material biodegradável. O propósito de Rafaella é que o absorvente seja distribuído pelo governo.

Inclusive, a estudante tem reunião marcada com o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (PMN), para apresentar o projeto ainda em outubro.

Estudante brasileira desenvolve projeto de absorvente sustentável para moradoras de rua2

Foto: Arquivo pessoal

Rafaella fez uma pesquisa e encontrou uma empresa que faz absorvente com fibra de banana na Índia.

“Lá, a pobreza menstrual é um problema grande, por questões financeiras, culturais e religiosas”, disse.

O absorvente projetado por Rafaella é um rolo. Para usá-lo, a mulher retira um pedaço do rolo de acordo com o fluxo e a necessidade.

Então, desdobra-se a aba que, após o uso, vai auxiliar a retirar o absorvente. Depois de desdobrar a aba, o pedaço do rolo é enrolado e fica pronto para ser usado.

“Com um rolo, pode fazer absorvente para três ciclos de sete dias”, afirmou.

Estudante brasileira desenvolve projeto de absorvente sustentável para moradoras de rua3

Foto: Arquivo pessoal

Share.

About Author

DEIXE SEU COMENTÁRIO