Museu reconstrói face de carioca que viveu há dois mil anos

<p>A reconstru&ccedil;&atilde;o digital da face de um homem que viveu no Rio de Janeiro h&aacute; cerca de dois mil anos ser&aacute; apresentada pelos pesquisadores do Museu Nacional no pr&oacute;ximo dia 22.<br /><br />A reconstru&ccedil;&atilde;o foi realizada a partir de um dos esqueletos encontrados por arque&oacute;logos da institui&ccedil;&atilde;o, na d&eacute;cada de 1980, no s&iacute;tio Sambaqui do Z&eacute; Espinho, em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio.</p>
<p>No projeto, foram necess&aacute;rios uso de r&eacute;plica virtual do cr&acirc;nio a partir de fotografias e estudo anat&ocirc;mico, que permitem estimar a posi&ccedil;&atilde;o e aspecto das estruturas da face. A reconstru&ccedil;&atilde;o tamb&eacute;m fornecer&aacute; caracter&iacute;sticas como sexo, idade e estatura, al&eacute;m de informa&ccedil;&otilde;es sobre doen&ccedil;as e atividades f&iacute;sicas praticadas.</p>

About Author

DEIXE SEU COMENTÁRIO