A cultura do narcotráfico no Rio de Janeiro

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +
Spread the love

Nesse episódio, o Coronel Montenegro traz o tema: A cultura do narcotráfico no Rio de Janeiro

(0:19) Facções criminosas nas favelas do Rio de Janeiro:

Quando você acompanha de perto a situação das facções criminosas nas favelas do Rio de Janeiro, acaba constatando que desde a mais tenra idade vários jovens são recrutados, iniciam sua “participação profissional” digamos assim, escalando os diversos degraus da hierarquia de uma organização criminosa.

A convivência com as regras institucionais e a participação ativa nas atividades criminosas levam os recrutas a terem uma participação ativa nos resultados das organizações e começam a perceber que fazem parte de algo maior.

Eles acabam assimilando o modo operante das organizações criminosas e garantindo assim a continuidade desse processo.

(1:26) A cultura de uma facção criminosa:

A cultura de uma facção criminosa é o conjunto dos costumes do seu estilo de vida e é desenvolvido desde a criação da organização. No caso do Brasil, particularmente o Rio de Janeiro, a gente observa a dinâmica, por exemplo, dos bailes funk em que eles usam aquele ritmo para promover música de apologia ao crime organizado ao sexo explícito e também tem a promoção de danças eróticas e o consumo de álcool e drogas.

Também faz parte da cultura dessas facções criminosas os justiçamentos de desafetos ou rivais o modo de vestir com pulseiras ou correntes de ouro, pingentes em forma de armas, roupas de grife, tem todo linguajar peculiar também, conjuntos de leis que eles mesmos criam ou até mesmo alguns cortes de cabelos estilizados.

Além disso, a gente pode ver as tatuagens com determinada simbologia especifica e o uso extensivo de armas como expressão de status social.

(2:30) Mutações de uma organização criminosa:

As mutações de uma organização criminosa normalmente acabam incorporando as novas tecnologias ao funcionamento da organização. Então, por exemplo, com a chegada dos smartphones e os aplicativos o sistema de vigilância das regiões comandadas pelo crime foi aperfeiçoado e foram viabilizadas articulações até mesmo a longa distância, envio de mensagens de texto, de imagens e até mesmo chamadas internacionais proporcionando uma grande flexibilidade aos líderes criminosos.

Outro detalhe interessante é a ampla utilização das redes sociais na promoção comercial das atividades nas provocações aos policiais e até mesmo provocações as facções rivais com fotos e vídeos depreciativos que são editados especificamente com essa finalidade ou mesmo como um elemento dissuasor.

Algumas das atividades, com execuções, costumam até mesmo a serem transmitidas em tempo real.

(3:30) A estrutura familiar:

A estrutura familiar desses locais normalmente é do tipo patriarcal tribal. Não sendo raros os casos de poligamia pelos líderes das facções. Muitas vezes ocorrem até mesmo disputas entre as mulheres pela posição de serem a preferida que na linguagem deles costuma dizer que é a mulher de fé.

(3:48) Religião:

Ainda em relação a essa narcocultura é muito comum encontrar criminosos ligados ao sincretismo religioso.

Eles misturam cartomantes, adivinhos, santos católicos com o candomblé. A ética religiosa possui algumas peculiaridades e normalmente é subordinada aos códigos e regras da organização.

É muito comum apelação para trabalhos e despachos ligados ao candomblé embora se use tatuagens e pingente com ideologia cristã como, por exemplo, o símbolo de Nossa Senhora Aparecida.

Nos últimos anos, houve uma mutação muito forte em relação essa parte religiosa das facções dentro das comunidades. Então, muitos criminosos migraram para seguimento evangélico e aí uma coisa muito estranha, por exemplo, por ordem de pastores muitos criminosos acabam mandando fechar terreiros de candomblé de umbanda dentro das comunidades. E fecham a força.

É uma coisa atípica que está ocorrendo e tem uma tendência muito forte a predominância do segmento cristão.

(5:11) Valores dessa micro sociedade:

(5:37) Arte:

(6:03) Território de uma facção criminosa:

Território ocupado por uma facção criminosa logicamente está ligado diretamente a sobrevivência da facção.

Assim sendo, eles privilegiam o controle sobre onde fica o coração do negócio. Justamente onde ficam os deposito para guardar as armas e das mercadorias. Logicamente as drogas.

E por fim, a cúpula de uma facção ela age como se fosse um comerciante que adquire e revende drogas mas, ele também possui seus seguranças armados para proteção da sua própria empresa.

Share.

About Author

DEIXE SEU COMENTÁRIO